Menu Responsivo
Menu Responsivo

Efeitos Traumáticos na Pandemia – Uma Análise Winnicottiana

Efeitos Traumáticos na Pandemia – Uma Análise Winnicottiana

34 respostas para “Efeitos Traumáticos na Pandemia – Uma Análise Winnicottiana”

  1. Interessante demais, somos sobreviventes de algo inédito do Século XXI. Foi traumático, estressante, e não há como dizer que isso é ”novo normal”. As relações interpessoais parecem que estão mais distantes, obsoletas, as pessoas estão cada vez mais cedendo ao fenômeno de Adiaforização, citado por Bauman. Nada será como antes, essa é a verdade.

  2. Muito relevante as informações acerca da tema, um trabalho atual que traz informaçoes clara sobre a vida real que muitos brasileiros não tem ideia do que passa nos lares brasileiros.

  3. Muito interessante o tema escolhido! Nos trouxe reflexões importantes sobre as diversas formas de lidar com as adversidades trazidas pela pandemia. Parabéns pela sua apresentação!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

AUTORE(A)S

  • Marcelo de Araujo Saliba (Curso de Psicologia, décimo período, Universidade Veiga de Almeida (UVA)
  • Douglas Bian Santos (Professor orientador do Trabalho de Conclusão de Curso, Graduação em Psicologia, UVA)


RESUMO

Trabalho monográfico do Curso de Graduação em Psicologia da Universidade Veiga de Almeida, 2023. O interesse surge pelo impacto causado nas emoções no período crítico da pandemia em pessoas de variadas idades. O isolamento social, as mudanças impostas na vida diária em 2021 e a convivência exacerbada em família aumentam o risco de conflitos e violências intrafamiliares desencadeadoras de traumas. Os objetivos traçados foram identificar o sofrimento psíquico no contexto de pandemia; levantar o conceito de trauma sob a luz do referencial de Winnicott e compreender o fenômeno do sofrimento psíquico a luz desse conceito. Entender sobre o colapso, sobre a ameaça de ruptura na confiança na relação e no cuidado familial é importante. Esses são produtores de trauma, e devem fazer parte da formação profissional e considerados na avaliação clínica.  Método: qualitativo, levantamento de publicações na Scientific Electronic Library Online (Scielo), idioma português disponíveis na íntegra, palavras chaves Winnicott, trauma, e pandemia. Resultados: Na avaliação psicológica os sinais comportamentais e a semiologia da expressão corporal são importantes e somam-se a forma como apresentam verbalmente seus sintomas e queixas. Na avaliação de 11.599 sujeitos, 18% do grupo de 6 a 12 anos tinham ansiedade e 17% tinham depressão; no grupo de 12 a 18 anos, 36% tinha ansiedade e 41%, depressão. Claramente, a população adolescente foi a mais afetada principalmente as meninas. Para Winnicott um indivíduo que sofreu repetidas experiências adversas durante a infância, sem mecanismos de resiliência adequados, torna-se mais sensível à desregulação psicológica, que causa depressão, e desregulação, que está associada à diversos problemas durante a vida adulta. Quando essas experiências são provocadas em um ambiente desfavorável podem acarretar emoções perturbadoras. O trauma é um fenômeno que pertence ao âmbito das relações inter-pessoais, resultante de um fracasso no estabelecimento ou na quebra do que é essencial numa dada relação humana e pessoal. As pessoas com transtornos psicossomáticos expressam cisão entre psique e corpo. Conclusão: As condições ambientais e o fracasso na adaptação ambiental não foram propícias para impedir a ocorrência do trauma psíquico em muitos lares durante a pandemia, pelo desequilíbrio emocional generalizado e pela ameaça da segurança interpessoal. Considerar o amadurecimento implica no diagnóstico sobre o individual e também sobre o social.

Painel de Trabalhos

-- vazio --

Efeitos Traumáticos na Pandemia – Uma Análise Winnicottiana

Efeitos Traumáticos na Pandemia – Uma Análise Winnicottiana

[mbv name="course-video-content"]

34 respostas para “Efeitos Traumáticos na Pandemia – Uma Análise Winnicottiana”

  1. Interessante demais, somos sobreviventes de algo inédito do Século XXI. Foi traumático, estressante, e não há como dizer que isso é ”novo normal”. As relações interpessoais parecem que estão mais distantes, obsoletas, as pessoas estão cada vez mais cedendo ao fenômeno de Adiaforização, citado por Bauman. Nada será como antes, essa é a verdade.

  2. Muito relevante as informações acerca da tema, um trabalho atual que traz informaçoes clara sobre a vida real que muitos brasileiros não tem ideia do que passa nos lares brasileiros.

  3. Muito interessante o tema escolhido! Nos trouxe reflexões importantes sobre as diversas formas de lidar com as adversidades trazidas pela pandemia. Parabéns pela sua apresentação!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

34 respostas para “Efeitos Traumáticos na Pandemia – Uma Análise Winnicottiana”

  1. Interessante demais, somos sobreviventes de algo inédito do Século XXI. Foi traumático, estressante, e não há como dizer que isso é ”novo normal”. As relações interpessoais parecem que estão mais distantes, obsoletas, as pessoas estão cada vez mais cedendo ao fenômeno de Adiaforização, citado por Bauman. Nada será como antes, essa é a verdade.

  2. Muito relevante as informações acerca da tema, um trabalho atual que traz informaçoes clara sobre a vida real que muitos brasileiros não tem ideia do que passa nos lares brasileiros.

  3. Muito interessante o tema escolhido! Nos trouxe reflexões importantes sobre as diversas formas de lidar com as adversidades trazidas pela pandemia. Parabéns pela sua apresentação!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Voltar ao Painel

-- vazio --