Menu Responsivo
Menu Responsivo

O Quebra-Cabeça Não Verbal das Relações Interpessoais: O Modelo de Sistemas e as suas possibilidades

O Quebra-Cabeça Não Verbal das Relações Interpessoais: O Modelo de Sistemas e as suas possibilidades

400 respostas para “O Quebra-Cabeça Não Verbal das Relações Interpessoais: O Modelo de Sistemas e as suas possibilidades”

  1. Excelente explanação.
    A comunicação não verbal, o próprio nome sugere, é aquela que ocorre sem o uso de palavras escritas ou faladas. Inclui comportamentos visuais, tais como: olhares, gesticulação, toques, posturas (afinal de contas, o corpo fala!), assim como mensagens menos aparentes , como: uso de roupas, distância entre interlocutores durante a comunicação, entre outras tantas.
    Excelente, Lucas! Parabéns por todo arcabouço teórico apresentado. 👏🏽👏🏽

  2. Parabéns amigo, você tem muito potencial! Sou honrada de ter você como colega de curso e amigo! Estaremos juntos nessa nova jornada de curso que estar por vim e futuramente na nossa vida profissional ! Sucesso, esse só é o começo! Te amo!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

AUTORE(A)S

Lucas Silva Souza (Graduando em Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades com ênfase em Estudos da Subjetividade e do Comportamento Humano (UFBA); FACS Certified Coder)

RESUMO

O presente trabalho tem o objetivo de ser uma introdução ao modelo teórico chamado ”Modelo de Sistemas” proposto por Milles Patterson em 2019 visando explicar os fatores envolvidos na comunicação não verbal dentro, principalmente, das relações interpessoais em contextos interativos face a face. Tendo em vista esta finalidade, serão abordadas determinadas teorias anteriores que contribuíram para o modelo teórico citado anteriormente.

As investigações científicas em Comunicação Não Verbal é um fenômeno muito recente, tendo suas primeiras pesquisas empíricas surgindo em meados dos anos 60 com uma ênfase específica em comportamentos não verbais isolados e sem fornecer muitas informações sobre a dinâmica entre múltiplos comportamentos dentro de um processo interativo. Essas pesquisas também visavam investigar como que fatores como a personalidade e a cultura eram capazes de influenciar os padrões comportamentais não verbais.

Entre 1965 e 1995 diversos modelos teóricos foram conceitualizados para explicar como os comportamentos não verbais operam dentro das relações interpessoais em contextos interativos face a face. Os primeiros deram ênfase a processos reativos relacionados à compensações ou reciprocidades comportamentais. Os posteriores ampliaram a compreensão do fenômeno não verbal através da ênfase adicional às funções sociais relacionadas a ele e aos processos não somente de emissão (codificação) de sinais não verbais mas também a captação (decodificação)

Após diversas teorias abordarem amplamente as diversas variáveis atreladas à perspectiva de um dos indivíduos dentro de um processo interativo dois fatores acabaram não recebendo tanta atenção, o ”poder” do ambiente (desde os aspectos físicos até as normas sociais) e as contribuições de todos indivíduos envolvidos dentro da interação não verbal que envolvem, em certo sentido, elementos dinâmicos separados mas que se coordenam durante a comunicação. Assim, Milles Patterson propõe em 2019 o Modelo de Sistemas visando integrar as influências ambientais, os fatores individuais (Biologia, cultura, objetivos, recursos cognitivos entre outros fatores) e os fatores diádicos interativos ( coordenação dos sinais comportamentais e da aparência entre os interagentes).

Desse modo, o objetivo deste trabalho visa partir do Modelo de Sistemas supracitado para mostrar as peças constituintes do ”Quebra-Cabeça” dentro do processo comunicativo não verbal, evidenciando não somente um panorama teórico para apoiar análises profissionais através de instrumentos e protocolos específicos dentro da área, mas, também, um ”horizonte” de possibilidades referentes à futuras pesquisas, como, por exemplo, a investigação da relação entre recursos cognitivos e emissão comportamental dentro de uma interação.

Painel de Trabalhos

-- vazio --

O Quebra-Cabeça Não Verbal das Relações Interpessoais: O Modelo de Sistemas e as suas possibilidades

O Quebra-Cabeça Não Verbal das Relações Interpessoais: O Modelo de Sistemas e as suas possibilidades

[mbv name="course-video-content"]

400 respostas para “O Quebra-Cabeça Não Verbal das Relações Interpessoais: O Modelo de Sistemas e as suas possibilidades”

  1. Excelente explanação.
    A comunicação não verbal, o próprio nome sugere, é aquela que ocorre sem o uso de palavras escritas ou faladas. Inclui comportamentos visuais, tais como: olhares, gesticulação, toques, posturas (afinal de contas, o corpo fala!), assim como mensagens menos aparentes , como: uso de roupas, distância entre interlocutores durante a comunicação, entre outras tantas.
    Excelente, Lucas! Parabéns por todo arcabouço teórico apresentado. 👏🏽👏🏽